banner ad

Orquestra Sinfônica de SJC faz apresentação especial neste sábado

| 08/03/2016 | 0 Comments
03/08/2016 – 05/08/2016

A Orquestra Sinfônica de São José dos Campos (OSSJC), sob regência de Marcello Stasi, fará uma apresentação especial neste sábado (6), às 20h, no ginásio do Sesc (Avenida Dr. Adhemar de Barros, 999 – Jardim São Dimas). No espetáculo, que será dedicado ao compositor Tom Jobim, a OSSJC vai acompanhar a cantora paulistana Mônica Salmaso, aclamada como expoente da nova Música Popular Brasileira (MPB).

Os ingressos estão à venda na bilheteria do Sesc e custam R$ 5 (trabalhador do comércio, serviços e turismo, credenciado no Sesc, e dependentes) e R$ 8,50 (aposentado, pessoa com mais de 60 anos, pessoa com deficiência, estudante e servidor de escola pública com comprovante). Para outros profissionais, a entrada é no valor de R$ 17. A venda será limitada a dois ingressos por pessoa.

O encontro entre a OSSJC e Mônica Salmaso presenteará o público com um repertório inteiramente dedicado a Antônio Carlos Jobim (1927-1994), amante da música clássica que introduziu uma harmonia requintada e letras elaboradas à música popular brasileira, consagrando-se como um dos maiores compositores do século XX.

Os arranjos musicais, feitos pelos músicos eruditos: Álvaro Peterlevitz, Rodrigo Morte, Daniel Maudonnet, Neymar Dias e Newton Carneiro, foram adaptados especialmente para a voz de Mônica, como por exemplo as canções Eu sei que vou te amar, Wave e A correnteza, que expressam o amor de Tom pela fauna e flora brasileiras e seu sentimento sagrado pelo Rio de Janeiro, cidade que não cansou de louvar em suas obras musicais e literárias.

No repertório dessa apresentação especial ainda estão sucessos como Chega de Saudade, Se todos fossem iguais a você, Samba de uma nota só, Desafinado, Modinha, Só tinha de ser você, Piano na Mangueira, Retrato Branco e Preto, Luiza entre outros.

O compositor

Antônio Carlos Jobim (1927-1994). Nascido na Tijuca, no Rio de Janeiro, cresceu “nas areias e dunas” de Ipanema. Estudou piano com o maestro Hans Joachim Koellreuter, introdutor da música dodecafônica no Brasil. Em 1946, entrou para a Faculdade de Arquitetura, abandonando-a no mesmo ano. Em 1949, iniciou a boêmia, tocando jazz e samba-canção em casas noturnas de Copacabana.

Em 1953, foram gravadas suas primeiras músicas: Pensando em Você e Faz uma Semana. Em 1954, Dick Farney e Lúcio Alves gravaram Tereza da Praia, seu primeiro sucesso, em parceria com Billy Blanco. No mesmo ano, lançou Sinfonia do Rio de Janeiro, em nova parceria com Blanco, e foi apresentado por Lúcio Rangel a Vinícius de Moraes, que o convidou a orquestrar as músicas da peça Orfeu da Conceição (1956), a primeira parceria.

Em 1958, Elisete Cardoso gravou Canção do Amor Demais, em parceria com ele, Vinícius de Moraes e João Gilberto. O disco é considerado o início da bossa nova. No final de 1962, foi convidado a realizar um show de bossa nova no Carnegie Hall, em Nova York. Nos Estados Unidos, gravou Francis Albert Sinatra & Antonio Carlos Jobim (1967).

Mônica Salmaso

Nascida em São Paulo, gravou em 1995 o CD “Afro-Sambas”, com o violonista Paulo Bellinati. Trabalho pelo qual foi indicada para o Prêmio Sharp em 1997 como Revelação na categoria MPB. Em 1998 lançou o CD “Trampolim” e venceu o Segundo Prêmio Visa MPB – Edição Vocal. Gravou em 99 seu terceiro CD “Voadeira”. Na edição de 4 de fevereiro de 2002 do “The New York Times”, o crítico Jon Pareles coloca Mônica Salmaso como um dos principais nomes surgidos recentemente na música popular brasileira.

Desde o lançamento de seu primeiro álbum, Mônica coleciona premiações nacionais e internacionais ligadas à MPB. Com o seu último trabalho “Alma Lírica Brasileira” recebeu o 23º Prêmio da Música Brasileira – Categoria Melhor Cantora MPB. E em 2013 o DVD deste mesmo trabalho recebeu o 24º Prêmio da Música Brasileira – Melhor DVD. Em 2014 lançou o CD “Corpo de Baile” sobre a parceria de Guinga com Paulo César Pinheiro e arranjos de nomes como Dori Caymmi e Paulo Aragão, com o qual recebeu o Prêmio de Melhor Cantora no 26º Prêmio da Música Brasileira.

Marcello Stasi

Nascido em São Paulo, o regente da Orquestra Sinfônica de São José dos Campos iniciou sua carreira aos 20 anos de idade ao vencer o Concurso Jovens Regentes da Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo (OSESP). Graduado com louvor em regência pela Universidade de Cincinnatti (EUA), concluiu seu mestrado na Northwestern University, de Chicago e é Doutor em Música pela Universidade de Campinas (Unicamp).

Como regente titular, esteve à frente da Amazonas Filarmônica e da Orquestra de Câmara de Jundiaí. Como convidado, regeu as mais renomadas orquestras do Brasil, como a Sinfônica do Estado de São Paulo, a Sinfônica Brasileira, a Sinfônica do Teatro Nacional de Brasília, a Orquestra Petrobras Sinfônica (RJ) e Camerata Fukuda, entre outras.
Informações: (12) 3904 2000.

OSSJC

A Orquestra Sinfônica de São José dos Campos foi criada em 2004, é mantida pela Prefeitura de São José dos Campos, pela Fundação Cultural Cassiano Ricardo (FCCR) e Secretaria Municipal de Educação, tendo a Associação Joseense para o Fomento da Arte e da Cultura (AJFAC) como entidade gestora. Outras informações no site da OSSJC (www.orquestrasjc.org.br e facebook.com/orquestrasjc).

Fonte: Assessoria de Comunicação – AJFAC

Tags: ,

Category: Sem categoria

Leave a Reply